sábado, 3 de janeiro de 2015

Deus

Ganhei de Natal alguns livros de "auto ajuda" , muitos bons por sinal, mas enquanto estava lendo um deles na rede da varanda da casa de campo da minha mãe, uma chuva começou a se formar no céu. Deparei-me com o seguinte devaneio: nenhuma literatura por melhor que seja, não consegue dar a paz interior que buscamos, como sentir e ver esta criação impecável de Deus, este planeta funcionando. O cheiro da chuva chega primeiro, e ao entrar em nossos pulmões ele purifica. O cinza do céu se misturando com o azul são as pinceladas mais perfeitas, a combinação das cores branca, cinza e azul. O vento úmido refresca e hidrata nossa pele, as gotas que começam a cair, não são transparente, são pontos de luz. O verde das montanhas, as árvores, as flores todos sorriem e nós também. Misturas de cores, de cheiros, de sentidos, de temperaturas. Ver e sentir a terra úmida, as pedras eternas, o céu com sua mutação de cores e o verde em seus vários verdes, me fazem entrar neste quadro vivo e perceber que faço parte deste contexto. Renovo, revigoro e entendo o que realmente sou. Ao lembrar da fala de Jesus:
 - Deus está no meio de nós.
Entendi que toda esta natureza que nos cerca, que está conosco o tempo todo, possuem toques de Deus capazes de me curar.  Este planeta que nos foi emprestado por um determinado tempo de vida e morte, tem todos os remédios e ferramentas para nossas enfermidades e conflitos. Basta fazer o contato e permitir que toda esta criação entre em nosso coração. Nós temos a renovação do amanhecer com o anoitecer, a hidratação, a troca de ares e a capacidade de superação, está tudo aqui, pensado e criado para nós. Muito bom. Estou mais feliz. Amém.  

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário